Badalado japonês de Miami, Makoto chega ao Cidade Jardim com cozinha de primeira

Dentro do luxuosíssimo shopping Bal Harbour, no norte de Miami Beach, o Makoto tornou-se um dos endereços queridinhos dos brasileiros que visitam Miami. Depois de abrir filiais no México e no Panamá, o simpático chef Makoto Okuwa traz agora seu restaurante japonês para São Paulo, em sociedade com o brasileiro Luigi Cardoso (ex-Brasserie des Arts e ex-Un).

A escolha do ponto não poderia ter sido melhor: o shopping Cidade Jardim, espécie de irmão siamês do Bal Harbour, também repleto das melhores grifes do mundo. Tão logo abriu as portas, no térreo do shopping, o Makoto São Paulo emplacou instantaneamente. A casa, felizmente, não atrai só pela badalação. Sua cozinha mostrou bom desempenho nas visitas anônimas realizadas.

Para comandar a cozinha foi convocado o competente chef Stefano Bignotti (ex-Loup). Sua equipe reproduz com maestria duas robatas que viraram receitas-assinatura do Makoto. Uma delas é a whole cauliflower (29 reais), couve-flor servida inteira com um ótimo molho cremoso de queijo feta, tofu, shissô e maionese japonesa kewpie. Também saborosos são os avocados tostados na grelha (18 reais; foto) e mergulhados no molho ponzu.

Entre as preparações frias, encontra-se outro hit do chef: a “pizza” montada sobre uma tortilla bem fininha coberta de lâminas de atum cru (37 reais; foto). Completam a receita azeitona preta, cebola-roxa, broto de coentro e um aïoli de anchova que (ainda bem!) não rouba a atenção do prato.

Mire também o ótimo hamachi ponzu (33 reais; na foto que abre o post), que traz lâminas de olhete servidas num molho cítrico da fruta sudachi mais fatia de jalapeño e broto de coentro.

As sugestões do sushi-bar são oferecidas em duplas de niguiris ou trios de sashimis, em cortes precisos. Contemplam pescados e frutos do mar nobres, como toro (atum gordo; 60 reais); atum bluefin (30 reais; foto), centolla (49 reais), graúda vieira canadense (32 reais; foto) e enguia de água-doce (42 reais). A dupla da barriga de salmão com raspas de limão-siciliano sai por 23 reais.

Vale prestar atenção ainda nos pratos quentes. Um dos mais chamativos é o frosty kobe fried rice (75 reais; para dois). Traz arroz de jasmim preparado na wok com gordura de foie gras mais cubinhos frios de kobe beef e, por cima, um ovo caipira de gema mole. Aqui, um ajuste a fazer: uma única gema do ovo não consegue dar umidade à receita pela quantidade de arroz. O ideal seriam duas gemas.

A melhor sugestão provada entre os quentes foi o short rib yaki noodles (62 reais; foto). Servido numa tigela fumegante, traz macarrão soba, costela bovina desfiada e cogumelos shiitake e shimeji num ótimo molho de tamarindo e gengibre, levemente picante. Fios de repolho-roxo cru finalizam a receita.

Dica: fuja dos horários de pico. O salão interno, quando lotado, é barulhento. Acompanham as receitas saquês em dose (Hakutsuru Josen Honjozo, 34 reais) ou garrafa e drinques assinados por Marcelo Serrano, como o gim tônica da casa (35 reais), com rabanete, pepino, shissô e limão-taiti.

Makoto São Paulo
Shopping Cidade Jardim
Avenida Magalhães de Castro, 12000, Morumbi, tel.: (11) 3758-2565.
Segunda a quarta, 12h/15h e 19h/23h;
Quinta e sexta, 12h/15h e 19h/23h30;
Sábado, 12h/17h e 19h/23h30;
Domingo, 12h/17h e 19h/23h.



HIGHLIGHTS
Makoto

Faixa de Preço: $$$
Tipo de Cozinha: Japonesa

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar