Bossa (SP)

Nota Final

Dono de um dos mais célebres clubs de música eletrônica do Brasil, o D-Edge, na Barra Funda, o empresário e DJ Renato Ratier estreou dois meses atrás no ramo da gastronomia. Inaugurou em fevereiro na Alameda Lorena (entre as ruas da Consolação e Melo Alves) o bar-restaurante Bossa, que tem um indisfarçável clima de pré-balada.

Bossa Ambiente 3Cerca de 1300 paletas que imitam madeira revestem a fachada do lugar, que demorou dois anos para ficar pronto e leva a assinatura de dois arquitetos badalados, Muti Randolph e Marcelo Rosenbaum. Repare: o salão de astral moderninho tem iluminação no teto que faz lembrar o D-Edge. Há ainda um estúdio de música no 1º andar e um bar será aberto em breve na cobertura.

Para cuidar da cozinha foi chamado o talentoso chef Willian Ribeiro (que fez sucesso na época do restaurante O Pote do Rei). Dos aperitivos, tente comer uma só das medalhas de tapioca frita (22 reais a porção), que levam queijo meia-cura e leite na receita. Acompanham mel com um toque de pimenta.

Negroni BossaEntre os pratos, o chef manda bem no polvo grelhado (60 reais) servido sobre um delicado purê de batata mais vegetais. Ainda melhor é o espaguetine (44 reais) numa base discreta de alho e óleo incrementado com lula, agrião e jamón serrano Salamanca, da cidade de Catanduva (SP).

A equipe do barman Ricardo Bassetto encarrega-se dos coquetéis. O bem-feito negroni (26 reais), por exemplo, diferencia-se por trazer Amaro Lucano no lugar do Campari. Vale provar também o inusitado gim tônica yellow submarine (32 reais), que traz gim Saffrón, água tônica, bitters de alecrim e duas fatias de beterraba.

Bossa
Alameda Lorena, 2008, Jardins, tel.: (11) 3064-4757
Segunda a sábado, 12h/1h
Domingo, 12h/0h
www.bossarestaurantebarestudio.com.br

Notas Individuais

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

1 Comment

  • responda April 10, 2015

    Brunno Barranco

    Só achei os preços um tiquinho a cima do que vale essa nota 8, que alias concordo!

Comente este artigo