Negroni Week agita bares de SP e desafia barmen a criar inusitadas versões de negroni

NEGRONIWEEK6

Desde 2013 bares de diversos continentes dedicam uma semana do ano para celebrar um dos coquetéis clássicos de maior popularidade no mundo. É a Negroni Week, evento criado pela revista americana Imbibe, que chega a sua 3ª edição brasileira, entre 5 e 11 de junho.

NEGRONIWEEK3O lançamento da edição 2017 do projeto em SP será na 2a-feira (5/6), no SubAstor,  em evento para convidados. Neste dia, Fabio La Pietra (atualmente do bar Peppino) volta ao balcão da casa que o projetou na cidade para participar de um guest bartender com o time do SubAstor. Além de oferecer a versão clássica com três partes iguais de gim, Campari e vermute tinto, a Negroni Week é um desafio para os barmen apresentarem inusitadas versões do drinque. Confira:

NEGRONIWEEK9ASTOR, SUBASTOR E CATETO
Astor, SubAstor e Bráz Trattoria participam da Negroni Week com o negroni salumen (31 reais; foto ao lado). Nesta versão, o gim usado no preparo é infusionado com salame (isso mesmo, salame italiano), que também aparece na decoração do coquetel. O negroni do bar Cateto Pinheiros (27 reais; na foto que abre o post) leva bitters cítrico caseiro e casca de grapefruit e terá preço promocional de 2a a 6a-feira, até as 21h: 20 reais.

GUILHOTINA E BIRI NAIT
Um dos sócios do bar Guilhotina, Márcio Silva preparou para semana comemorativa o OC negroni (31 reais), que é preparado com um mix de vermutes (Carpano Classico, Punt e Mes e Oscar 697) e passa por infusão de 24 horas em chá de cacau e casca de laranja desidratada. “O negroni ganha notas suaves de chocolate meio amargo e fundo cítrico”, conta o bartender. No Biri Nait, também em Pinheiros, a bartender Talita Simões também aposta em infusão, só que de cardamono (29,90 reais).

NEGRONIWEEK5BAR.
Outra receita que desperta atenção é a do bar., na Rua Joaquim Antunes. A casa irá servir o negroni creole (33 reais; foto). Nele, o Campari é filtrado a frio em café Santa Mônica. “Com isso, destacamos as notas mais abaunilhadas do café”, conta Marcos Lee, um dos sócios da casa. Complementam a criação o bitters Creole (da Bitter Truth), uma rodela de laranja desidratada e uma canela em pau tostada no maçarico.

SALAESPECIAL_NEGRONISALA ESPECIAL
Dos mesmos donos da Casa 92, o bar Sala Especial apresentará algumas variações de negroni (29 reais cada um), que serão executadas pelo bartender da casa, Thiago Pereira. Um deles, o reposado traz tequila no lugar do gim e sal na borda do copo. Também entra em cartaz durante o evento o coffee negroni (foto), que tem como diferencial ser preparado com um vermute caseiro artesanal que passa na cafeteira Bialetti. E mais: é servido na própria cafeteira e com toques de pirotecnia — fumaça de gelo seco.

NEGRONIWEEK4JILÓ DO PERIQUITO
Bar que surgiu onde era o Aconchego Carioca, na Alameda Jaú, nos Jardins, o Jiló do Periquito irá oferecer uma versão engarrafada do coquetel (28 reais; foto), que pode ser consumida lá mesmo ou comprada para levar. O negroni da casa tem como diferencial gotas de um concentrado de lúpulo adicionado na hora de servir.

SARAU
Durante o evento, o bar-balada Sarau inclui no cardápio um negroni que leva Campari infusionado com laranja-baía e gim envelhecido em barril de carvalho.

NEGRONI WEEK
De 5/6 (2a-feira) a 11/6 (domingo).
negroniweek.com

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar