Novíssima hamburgueria C6, do chef Marcos Livi, vira sensação do Mercado de Pinheiros

C6ABRE

Gaúcho da serrana São Francisco de Paula que não perdeu o sotaque nos 26 anos radicado em São Paulo, o chef Marcos Livi construiu um pequeno reino gastronômico na cidade. Desde a abertura do bar Veríssimo, no Brooklin, em 2007, ele pôs de pé mais cinco casas — como Quintana, Botica, Officina e Napoli Centrale, num sortido rol de empreendimentos.

C67A atual menina dos olhos de Livi é a transada e já concorridíssima hamburgueria C6, inaugurada no início de janeiro num espaço anexo ao Mercado de Pinheiros. O esquisito nome do lugar tem explicação: refere-se às iniciais das palavras carne, calor, carvão, cerveja, casual e criativo. Além dos suculentos hambúrgueres de 100 e 170 gramas produzidos diariamente lá mesmo, com um blend de carnes bovinas da raça britânica Hereford, há outras delícias para se prestar atenção no cardápio.

C64Não saia sem provar, por exemplo, o brisket (20 reais; foto). O peito bovino fatiado, úmido e de tempero exemplar, é preparado num defumador a lenha e carvão por 12 horas. O corte vem acompanhado de repolho-roxo, picles de pepino, maionese da casa e mostarda com butiá (uma fruta).

Também tentadora é a costelinha suína desfiada (21 reais; foto) servida num inusitado pão com pó de carvão vegetal comestível (daí sua cor acinzentada). A sugestão é incrementada com molho barbecue, abacate, tomate, sour cream e saladinha.

C62Um dos hambúrgueres mais pedidos é o carbón (24 reais; na foto que abre o post), que traz um disco de carne de 170 gramas, queijo colonial (produzido nas áreas rurais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina), bacon com redução de vinagre, tomate chamuscado na brasa e maionese caseira.

Na linha das invencionices que funcionam estão o com queijo suíço raclette, picles de pepino e maionese (36 reais; foto) e o korea (28 reais), este sem queijo e com kimchi (acelga fermentada picante), pancetta, saladinha pamuchin e molho feito com a pasta coreana de pimenta gotchujang.

C65O maior hit entre as bebidas é o inusitado milk-shake de pipoca, que mesmo doce traz sabores que remetem a milho, manteiga e sal. Outra atração é uma máquina com sete torneiras de chope (foto) na qual o próprio cliente se serve com um cartão recarregável e paga de acordo com os mililitros.

Um dos bicos é reservado para os coquetéis, mas o gim tônica (7,50 reais cada 100 mililitros) provado numa das visitas estava completamente sem gás. Prefira as boas cervejas artesanais engatadas.

C68Entre as sugestões rotativas podem aparecer a Júpiter APA (3,40 reais cada 100 mililitros) e a ótima Hoppiness #2.0 IPA (4,30 reais cada 100 mililitros), da cervejaria cigana Molinarius (SP). Fique atento: a casa, por enquanto. fecha cedo, às 20h.

C6 HAMBURGUERIA
Mercadão de Pinheiros
Rua Pedro Cristi, 89, Pinheiros, tel.: (11) 3034-2697.
Segunda a sábado, 12h/20h;
Fecha aos domingos.



HIGHLIGHTS
C6 HAMBURGUERIA

Faixa de Preço: $
Tipo de Cozinha: Carnes

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar