Pequeno notável, Bar do Jiquitaia ganha novos e surpreendentes coquetéis e petiscos

BARDOJIQUITAIA1

Chef que comanda ao lado da irmã Carolina o premiado restaurante de cozinha brasileira Jiquitaia, na região do Baixo Augusta, o paranaense Marcelo Corrêa Bastos (foto) ampliou seus horizontes neste 2017. Foi escolhido para elaborar o cardápio e ser um dos sócios do já aberto Vista Café e do aguardadíssimo Vista Restaurante, este no rooftop do Museu de Arte Contemporânea (MAC USP), com incrível vista para o Parque do Ibirapuera.

BARDOJIQUITAIACHEFMesmo com a dupla jornada, Marcelo não deixou de abastecer com novidades o Bar do Jiquitaia.. Ele, Carolina e o consultor especializado em bebidas Danilo Nakamura acrescentaram novos drinques e petiscos ao pequenino bar de 20 lugares, que funciona no piso superior do Jiquitaia e foi eleito um dos dez melhores bares inaugurados em São Paulo em 2016 no prêmio anual do TASTE AND FLY.

BARDOJIQUITAIA4Uma das melhores surpresas etílicas recém-chegadas ao menu é o si hay coentro soy contra (29 reais; foto), drinque que parodia no nome a velha frase anarquista “si hay gobierno, soy contra” e a aversão que muita gente tem do coentro.

Para os fãs do tempero, porém, o coquetel é um deleite, equilibradamente refrescante e herbáceo. Servido numa simpática caneca de cobre, leva gim inglês Tanqueray, folhas de coentro maceradas (e depois coadas), xarope de coentro caseiro, sumo de limão-taiti e um toque da ótima cerveja curitibana Morada Cupuaçu Sour. Difícil não pedir bis.

BARDOJIQUITAIA2Deliciosa versão do moscow mule, drinque cada mais mais na moda, o soldado medeiros (29 reais; foto) também merece elogios. Tem como marca o sabor picante do gengibre. Reúne bourbon, xarope de mel com gengibre e espuma de gengibre. Na finalização, entram um rodela de limão desidratado e pimenta-do-reino.

No rol das novidades, executadas pelos competentes barmen Felipe Leite e David Moraes, aparece ainda o jiquitaia’s blood (29 reais), versão do red snapper (gim com suco de tomate temperado) com pimenta-de-cheiro, e o mandasour (25 reais). Nele, um blend de cachaças capixabas Princesa Isabel envelhecidas em bálsamo e jaqueira é combinado com mel de mandaçaia (abelha brasileira sem ferrão), chá mate caseiro e limão-taiti.

BARDOJIQUITAIA5Para completar, foi efetivado no menu o da terra (29 reais; foto). Numa bela taça coupe, combina uísque irlandês, xarope de banana-da-terra defumada, limão-siciliano e dry curaçao (licor de laranja com passagem em barril).

À interessante seção de petiscos, da qual fazem parte o chips de jiló (8 reais a porção) e o ceviche de chuchu e camarão (21 reais), juntaram-se os ótimos quiabos grelhados lambuzados de missô (16 reais; foto) e uma nova versão da alheira (21 reais; foto), servida agora com caldo de galinha reduzido e um ovo frito de gema mole por cima. Outro ponto positivo do Bar do Jiquitaia é o estendido horário de funcionamento: a cozinha só fecha à 1h30 e o bar, às 2h da manhã.

BARDOJIQUITAIA3Bar do Jiquitaia
Rua Antônio Carlos, 268 (piso superior), Baixo Augusta, tel.: (11) 3262-2366.
Terça a sábado, 19h/1h30.
Fecha domingo e 2a-feira.



HIGHLIGHTS
Bar do Jiquitaia

Faixa de Preço: $$
Tipo de Cozinha: Brasileira

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar