Dez endereços para pedir chopes artesanais e drinques engarrafados nesta quarentena

Parodiando o célebre provérbio de Maomé e a montanha, “se o cliente não pode ir ao bar, o bar vai até o cliente”. Mesmo neste período de #fiqueemcasa, é possível beber bem no conforto do lar. Enquanto não reabrem as portas, muitos bares estão fazendo delivery de drinques engarrafados e chope artesanais, alguns com preços amigáveis e sem taxa de entrega. Confira:

# Picco (@o.picco)
O concorrido bar de Pinheiros, que combina pizzas e ótimos coquetéis do bartender Lula Mascella, está fazendo delivery de drinques engarrafados pelos aplicativos Rappi e IFood e também pelo WhatsApp (11 99307-7651), sempre das 18h às 23h. Entre as combinações etílicas oferecidas (20 reais; 100 mililitros) estão negroni, manhattan, martinez e o trotamundos, este uma combinação de rum 3 anos, vermute seco, jerez fino e Fernet Branca.

# Banqueta (@banqueta.bar)
Um dos únicos bares dedicado à boa coquetelaria em Moema, o simpático Banqueta resolveu apostar em delivery de negroni nesta quarentena. São três sugestões oferecidas em bonitas garrafinhas de 375 mililitros. O negroni clássico leva gim Amázzoni, Campari e vermute Carpano Classico. Há também os negronis envelhecidos em barris de carvalho e de amburana. Cada garrafa (120 reais) rende quatro doses e dá direito a quatro gelões em cubo da Ice4Pros (@ice4pros). Entregas, por enquanto, só em Moema e arredores (sem valor de frete).

# Astor (@barastor)
O célebre bar da Vila Madalena turbinou o projeto Astor em Casa. No cardápio, além do picadinho (62 reais) e do filé à oswaldo aranha (67 reais), é possível encontrar drinques clássicos engarrafados. Negroni, dry martini, old fashioned, boulevardier e manhattan (29 reais) vêm com suas respectivas guarnições (como fatia de laranja ou azeitona no palito, por exemplo) embaladas a vácuo. Pedidos pelo Rappi ou pelo telefone: (11) 2883-5063.

# Goose Island Brewhouse (@gooseislandbr)
O grandioso brewpub da marca americana Goose Island. no Largo da Batata, em Pinheiros, continua atendendo seus clientes por meio do aplicativo Rappi. Os chopes próprios são entregues em growlers pet de 1 litro e alguns estão com 50% de desconto, como o hop lager Piney Pils (17,50 reais), o juice ale Summer Haze (mesmo preço) e o american pale lager Tide Turns (17,50 reais). Para acompanhar, é possível pedir o ótimo hambúrguer de pato com queijo meia-cura (29 reais).

# Sip Lovers (@siplovers)
O TASTE AND FLY é um dos participantes da plataforma, que surgiu da ideia de conectar os bares de coquetelaria aos clientes nesta quarentena. Os endereços selecionados são presenteados com garrafinhas de 100 mililitros com tampa e etiqueta para que possam engarrafar coquetéis e vendê-los via delivery com custo menor. Entre os bares estão o Sylvester, do bartender Rogério “Frajola”, com uma versão do rabo de galo com raspas de chocolate (20 reais), e o mexicano Lupe, com o drinque ahumadito (20 reais), que leva tequila, vermutes, Campari, Aperol, tintura de café e spray de mezcal. Também participam do projeto endereços como Guarita, Regô e Bar do Naga.

# Imakay (@imakaysaopaulo)
Eleito pelo TASTE AND FLY um dos 10 melhores restaurantes inaugurados em SP em 2019, o nipo-peruano Imakay criou uma inusitada embalagem para fazer delivery de seus coquetéis. O drinque vem ensacado, com guarnição e gelo separados. Além dos clássicos boulevardier (29 reais) e manhattan (32 reais), há também duas variações de negroni (29 reais): o kingston (com rum no lugar do gim) e o salty negroni, que leva vermute tinto envelhecido em carvalho, tintura de sal e cerveja marrasquino. Os pedido podem ser feitos pelo Rappi e pelo WhatsApp (11 3078-7786).

# Bitter&Co. (@bitterandco)
É uma das melhores marcas na categoria drinques engarrafados. Trabalha com garrafas de 750 mililitros, que custam a partir de 129 reais. O negroni leva gim Jungle, Campari e um blend de vermute tinto próprio, que é segredo da marca. Pode-se encomendar também dry martini e rabo de galo. Durante a quarentena, na compra de qualquer garrafa, o cliente ganha um pack com 8 pedras de gelo cristalino. Pedidos pelo Instagram e WhatsApp (11) 9-8032-0881.

# Cervejaria Central (@cervejariacentralsp)
O descolado bar-cervejaria da Vila Buarque segue em atividade para retiradas de pedidos no balcão e delivery. Os nove chopes de fabricação própria são enviados em growlers pet reutilizáveis de 1 litro. Entre eles aparecem o american IPA chamado Otra (30 reais); o session new england IPA Vida Mansa (45 reais) e o Platô (50 reais), russian imperial stout com chocolate, baunilha e lactose na receita. Pedidos por Instagram e  WhatsApp (11) 9-6854-2053.

# Empório Alto dos Pinheiros (@eapsp)
Endereço que guarda um dos maiores arsenais etílicos de São Paulo, o Empório Alto dos Pinheiros entrega em casa uma oferta de 30 chopes e quase 350 rótulos de cerveja, além de hard kombuchas (alcoólicas), sidras e hidroméis. Pedidos até às 17h serão entregues no mesmo dia. Podem ser feitos pelo WhatsApp (11 99250-7997). Até 20 quilômetros de distância, a taxa de entrega é de 15 reais. É possível conferir todos os rótulos disponíveis no site da casa, www.eapsp.com.br.

# Cervejaria Nacional (@cervejarianacional)
Seus chopes são sempre frescos, já que são produzidos no próprio bar, em Pinheiros. Durante o período da quarentena, é possível pedi-los pelo Rappi com preços especiais. Entre eles estão o weiss (de trigo) Domina (24 reais o litro), o stout Sa’si (25 reais), o german pils Y-Îara (22 reais) e nossos dois preferidos: o Kurupira Ale (37 reais), red ale com malte e caramelo em destaque no sabor, e o Mula (27 reais), IPA com lúpulos cítricos americanos e respeitáveis com 7,5% de teor alcoólico.

PREÇOS CHECADOS EM ABRIL DE 2020.

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar