Conheça três descobertas no delivery testadas e aprovadas pelo Taste and Fly

A pandemia não só obrigou os restaurantes a incrementar seus deliveries como fez surgir em São Paulo uma nova e interessante geração de cozinhas virtuais, que entregam em casa curiosas especialidades. Confira três delas, testadas e aprovadas pelo TASTE AND FLY.

1) Sobás, do Sim Sobá (@simsoba)
Campo-grandense radicada em São Paulo há 25 anos, a simpática chef Vanessa Carvalho (foto) criou em 2016 o Sim Sobá, marca focada em receitas sul-mato-grossenses com a qual já participou de diversas feiras de comida. Durante a pandemia, apostou suas fichas no delivery a partir de uma dark kitchen no Campo Belo. Sua especialidade é o sobá à moda de Campo Grande. A receita, de origem japonesa, foi trazida para o centro-oeste brasileiro pelos imigrantes oriundos da ilha de Okinawa. Os sobás do Sim Sobá trazem macarrão de produção própria mergulhados num rico caldo bovino (de ossobuco, shoyu e cachaça) mais omelete em fatias e cebolinha picada. São quatro versões, todas ótimas: filé-mignon suíno, alcatra (foto), peito de frango e shimeji (de 34 a 44 reais cada um). Para acompanhar, peça o delicioso refresco de chá de canela, xarope de hibisco e limão (14 reais; 500 mililitros). Delivery ou retirada de sexta a domingo, das 18h às 22h. Pedidos pelo WhatsApp (11) 98696-5212.

2) Panino italiano, do Maialino Panino (@maialino_panino)
Parada obrigatória em Florença por servir um dos melhores sanduíches da cidade, o All’Antico Vinaio foi a fonte de inspiração para quatro amigos paulistanos lançarem o Maialino Panino. A marca de delivery tem foco no autêntico panino italiano. Com tamanho que valem uma refeição, os sanduíches são preparados com frios como rosbife, salame e presunto de Parma numa dark kitchen no Sumaré. Destacam-se pelo pão, uma focaccia bem macia de fermentação natural. O de mortadela (35 reais), com fatias fininhas e cheias de frescor, agradaria mais se tivesse um pouco mais de pasta de alcachofra e molho pesto — para deixar o conjunto mais úmido. Um dos melhores é o robusto copa (44 reais; foto), que reúne saborosa copa lombo desfiada de lenta cocção, picles de cenoura, maionese verde, rúcula e um toque de mel, molho inglês e mostarda de Dijon. Pedidos no WhatsApp (11) 94226-9948 e no site maialinopanino.com.br.

3) Smash pastrami, do Zak Walla (@zakwalla)
O restaurateur Leo Marigo juntou uma memória afetiva de infância — quando comia sanduíches quentes de pastrami na casa do avô de um amigo — com a atual moda dos smash burgers para idealizar uma nova sanduicheria. A Zak Walla tem uma inusitada especialidade, o smash pastrami. Bem saboroso, o pastrami produzido a partir do peito bovino chega desfiado, quente e prensadinho entre duas fatias de pão de brioche. A versão chamada zakinha (17,90 reais; foto) traz pastrami e molho de queijo. As demais incluem ainda picles de pepino (21,90 reais), salada coleslaw (22,90 reais) e até um smash burger de 50 gramas. Há também os combos, que acompanham batatas chips caseira cobertas por molho de queijo e pastrami desfiado. Pedidos pelo iFood e Rappi. Terça a sábado, 18h/23h; domingo, 12h/17h.

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar