Salão panorâmico no centro histórico de SP ganha nova unidade do italiano Piselli

O centro histórico de São Paulo ganhou nesta semana mais um presente. Abriu as portas no dia 1º de junho o Piselli Boa Vista, nova casa do restaurateur Juscelino Pereira, que comanda também o Piselli (na Padre João Manuel, nos Jardins) e o Piselli Sud (no shopping Iguatemi).

Com 60 lugares e vista panorâmica da região, a nova casa tem localização privilegiada. Fica no 12º (e último) andar do prédio da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O convite para montar o negócio partiu do empresário e ex-senador Alfredo Cotait Neto, atual presidente da associação.

Na Rua Boa Vista (daí o nome), o Piselli do centro irá funcionar somente no almoço, de segunda a sexta-feira. Como as casas-irmãs, o cardápio enaltece a cozinha italiana.

Entre as entradas estão o arancini (42 reais), bolinho de risoto com mussarela de búfala, e a polenta italiana cremosa coberta de molho de tomate picante e linguiça blumenau (52 reais, a pequena; 75 reais, a grande).

A cozinha ficará a cargo de Adnilton Souza, que trabalha há mais de 10 anos no Piselli. Várias receitas já conhecidas pelos clientes estão entre as sugestões, a exemplo do ravióli de brie e pera ao molho de manteiga e mel trufado (82 reais), do pappardelle ao ragu de ossobuco (87 reais), da lasanha à bolonhesa (79 reais) e do risoto de ervilha e gorgonzola (99 reais),

Um prato exclusivo da unidade do centro será o filleto san paolo (89 reais), bife alto de filé-mignon acebolado com arroz, feijão e batata frita. A casa irá oferecer menu-executivo (entrada, prato principal e sobremesa) por 75 reais.

Piselli Boa Vista (@restaurantepiselli)
Rua Boa Vista, 51 (12º andar), centro.
Reservas pelo tel: (11) 3180-3760.
Segunda a sexta, 11h30/16h.
www.piselli.com.br.

Fotos: Divulgação.

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar