Baixo Augusta ganha o Fechado, novíssimo e ótimo bar da dupla Greg Caisley e Jean Ponce

Craques em criar lugares bacanas, os sócios Greigor Caisley e Jean Ponce hastearam mais uma bandeira na cidade. Idealizadores do Guarita Bar, do Patties e do Boteco Confessionário (que vai mudar de nome), eles inauguraram duas semanas atrás o bar Fechado, no Baixo Augusta.

Na Rua Bela Cintra, próximo à Fernando de Albuquerque, o endereço ganhou este nome pitoresco por ter sido montado num imóvel que ficou fechado por mais de dois anos.

O ponto foi alugado no fim de 2019 e, por causa da pandemia,  Greg e Jean só agora conseguiram finalizá-lo como gostariam.

A entrada, discreta, é por um corredor lateral cheio de plantas. No fim dele, descortina-se o salão de decoração industrial descolada, com pé-direito alto e teto parcialmente retrátil.

Para liderar o balcão de drinques, a dupla convidou a talentosa bartender Alice Guedes, que tão bem comandava as coqueteleiras do Guarita e agora é uma das sócias do Fechado.

Simples e certeiro, o menu etílico reúne dez drinques clássicos e cinco autorais, executados com o mesmo alto padrão de qualidade do Guarita. Para começar, vai bem o fechado (35 reais). Suave e refrescante, combina gim, St. Verger (aguardente com pera asiática), jerez fino, mix cítrico e abacaxi.

O melhor autoral provado na visita foi o jardim de alice (37 reais; foto), coquetel com perfil de sabor cítrico e floral. Equilibra gim, grapefruit, laranja-baía, calda cítrica de camomila e licor de flor de sabugueiro.

Quem prefere algo mais robusto e amargo encontra abrigo no também ótimo apagão (38 reais; foto), negroni incrementado com amaro Averna, Cynar e bitter Peychaud’s.

À noite, a cozinha serve comidinhas de boteco sempre com um toque criativo.

Entre elas estão o palitinho de tapioca guarnecido de ketchup de goiabada com toque picante (26 reais; 6 unidades), a coxinha de frango servida sobre molho de catupiry (24 reais) e o sanduíche de cupim, picles de erva-doce e agrião (32 reais; foto) montado no pão de fermentação natural.

A ideia dos proprietários é funcionar o espaço com outro conceito durante o dia. A partir das 8h, entram em cartaz sugestões de café da manhã, cafés mineiros da Fazenda Daterra e alguns pratos para o almoço.

Às segundas-feiras, a partir das 20h, o Fechado recebe apresentações de jazz ao vivo (com cobrança de couvert artístico). Atenção: a casa não abre às terças-feiras.

Fechado (@fechado.bar)
Rua Bela Cintra, 676, Baixo Augusta.
Segunda, quarta e quinta, 18h/23h30;
Sexta e sábado, 18h/0h30;
Domingo, 18h/23h30;
Fecha às terças-feiras.

Fotos: @tasteandfly



HIGHLIGHTS
Fechado

Faixa de Preço: $$
Tipo de Cozinha: Variada

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar