Ainda pouco conhecido no Itaim, East atrai com petiscos chineses e drinques com baijiu

Paulistanos de família taiwanesa, ela com 31 anos e ele com 24, os irmãos Mônica e Rodrigo Lee sentiam falta de encontrar em São Paulo bares chineses descolados como os que frequentavam nas viagens que faziam regularmente para visitar seus parentes em Taiwan.

Por isso, a especialista em administração e marketing e o irmão designer decidiram investir numa primeira casa no ramo — o ainda pouco conhecido East Kitchen & Bar.

Low profile, o endereço ocupa desde novembro um quarteirão menos badalado da Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, no Itaim Bibi. Numa das paredes de pé-direito alto do espaçoso salão, ideogramas em néon trazem o provérbio chinês: “Se hoje tiver vinho, hoje me embebedarei”.

Ainda que os pratos principais sejam fartos e para compartilhar, como manda a tradição da cozinha chinesa, o East diferencia-se por oferecer algumas “tapas” asiáticas mais modernas para acompanhar os drinques.

Para começar, peça o royal set (42 reais; foto), que reúne quatro entradinhas para dividir: ovo mollet marinado em vinho chinês, fatias de yukon (batata japonesa) com chili oil, picles de pepino com pimenta sichuan e a ótima salada de acelga ao molho de abóbora cabotiá.

Há também os tradicionais dim sum, os dumplings chineses preparados no vapor (foto), oferecidos em oito versões no menu.

Três dicas certeiras são o xiao long bao (32 reais; 4 unidades), dumpling fechado de camarão e copa lombo; o shu mai (28 reais), dumplings abertos de camarão, carne suína e shitake; e o chili wonton de camarão (34 reais), de massa delicada e servido sobre saboroso molho de shoyu, vinagre chinês e chili oil.

Dos pratos principais, aposte nas receitas salteadas na wok. O clássico chow mein (56 reais; foto) combina noodles com carne bovina marinada (que podia vir em maior quantidade) e legumes, enquanto o fried rice (66 reais) traz arroz, camarão, lula, mexilhão, ovo, legumes e crispy de alho-poró.

No quesito etílico, o East apresenta-se como o primeiro baijiu bar de SP. Ainda pouco conhecido por aqui, o baijiu (pronucia-se “bái-dju”) é a bebida destilada mais consumida na China.

De alto teor alcoólico, é produzido de cereais como arroz, painço e sorgo e tem sabor particular, com um traço de dulçor. Pode ser provado em dose (25 reais) ou ainda em três coquetéis, como o refrescante jiang (45 reais), que combina o destilado chinês com extrato de gengibre, hortelã, limão-siciliano e tônica.

O bartender Rubens Júnior (foto) manda bem ainda no martini que leva gim infusionado com pimenta-de-sichuan, vermute seco e jerez (45 reais; foto).

East Kitchen & Bar (@east.kitchenbar)
Rua Leopoldo Couto de Magalhães Jr., 382, Itaim Bibi.
WhatsApp: (11) 97579-3278.
Segunda a quinta, 12h/15h e 17h/22h;
Sexta, 12h/15h e 17h/23h;
Sábado, 17h/23h;
Fecha aos domingos.

 



HIGHLIGHTS
East Kitchen & Bar

Faixa de Preço: $$
Tipo de Cozinha: Chinesa

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar