Queridinho dos foodies, omakase do Sushi Vaz ganha novo endereço, na Alameda Santos

Criado pelo cuiabano Wdson Duarte Vaz, que passou pelos restaurantes Shigueru, Nagayama e Nobu, o Sushi Vaz entrou no radar dos foodies por servir sushis de alta qualidade numa localização improvável — o corredor de uma galeria de eletrônicos na Avenida Paulista.

Animado com o sucesso, o sushiman Vaz resolveu mudar o pequenino restaurante de endereço. Em meados de abril, transferiu-se para uma portinha na Alameda Santos.

Em sua nova sede nos Jardins, no quarteirão entre as ruas da Consolação e Bela Cintra, a casa manteve seu propósito (beeeem!) intimista. Se antes só conseguia atender 4 pessoas por vez, agora pode receber confortavelmente até 7 clientes, todos acomodados num compacto balcão em formato de ‘L’.

O Sushi Vaz construiu sua fama pelas redes sociais e ficou conhecido pelo omakase (degustação do chef) de niguiris clássicos, que trazem fatias de peixe de grande frescor sobre bolinhos de arroz que desmancham na boca. Salmão, claro, não entra na seleção.

No dia da visita, enquanto as caixas de som tocavam João Gilberto em volume que o próprio João aprovaria, Vaz e sua afinada equipe (foto) serviram niguiris de linguado, olhete, barriga de xaréu, manjubinha e sardinha, além de três cortes de atum (akami, chutoro e barriga; foto), todos já pincelados com shoyu e raiz-forte.

Alguns destaques foram o de pargo, temperado só com shissô, limão e sal para enaltecer seu sabor ligeiramente adocicado; o de carapau com cebolinha e gengibre e o de cavalinha marinada em vinagre de arroz.

Na seleção de frutos do mar, torça para aparecer o hokkigai (foto), molusco de colocação degradê entre o branco e o vermelho também conhecido como surf clam, e a lula fresca (foto) numa arrebatadora combinação com uni (ovas de ouriço) e folha de shissô.

A única sugestão mais “moderninha” foi o ótimo atum spicy montado na alga nori bem crocante. Vem temperado com pimenta tailandesa sriracha, ovas de capelin (massagô), maionese kewpie e gergelim.

Rótulos de saquê (Hakushika, 40 reais a dose), vinho e cervejas artesanais da Dogma e da Trilha compõem a pequena carta de bebidas. O omakase com 16 unidades custa 260 reais. É necessário fazer reserva antecipada. Também em abril, o Sushi Vaz ganhou uma segunda unidade, numa sala reservada no piso superior do novo restaurante Churrascada do Mar.

Sushi Vaz (@sushi_vaz)
Alameda Santos, 2528, Jardins.
WhatsApp: (11) 94577-9002.
Terça a domingo, 12h/16h30.



HIGHLIGHTS
Sushi Vaz

Faixa de Preço: $$$
Tipo de Cozinha: Japonesa

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar