Chef André Mifano resgata cozinha italiana que o projetou no ótimo restaurante Donna

Um dos principais nomes da gastronomia paulistana, André Mifano mergulhou em uma nova empreitada. No fim do ano passado, o chef inaugurou num pequeno sobrado na Rua Peixoto Gomide (no quarteirão entre Oscar Freire e Lorena), nos Jardins, o já concorrido Donna.

Uma coisa é fato: seu novo restaurante está longe de ser uma continuidade do Lilu — endereço em Pinheiros que André Mifano abriu em 2016 e fechou em 2020 e tinha cardápio focado em receitas moderninhas.

No Donna, o cozinheiro aproxima-se mais do trabalho que fazia no extinto Vito, onde as massas, embutidos e cortes suínos também eram protagonistas. Aqui, ancora-se em receitas italianas de pegada autoral que ele mesmo define como uma cozinha ‘ítalo-paulistana’.

Uma entrada que quase passou despercebida e merece ser descoberta são os pãezinhos de queijo fritos recheados de queijo cremoso da Serra da Canastra (32 reais a porção) — pode anotar, estão entre os melhores da cidade.

Outra sugestão, esta mais instigante e com o DNA de Mifano, reúne sobre uma fatia de pão — como uma bruschetta — uma saborosa combinação de lula, tripa e pancetta puxadas na chapa com tomate, cebola e um toque de pimenta dedo-de-moça (49 reais; foto).

Sete massas, três risotos e outras quatro sugestões compõem a ala dos pratos principais. Na visita realizada, brilharam o espaguete à carbonara (56 reais; foto), com cremosidade na medida, e o rigatoni com linguiça suína feita na casa (65 reais; foto) e a bem-vinda companhia de erva-doce.

Ainda assim, o prato que mais surpreendeu foi o risoto de joelho de porco braseado (79 reais; foto). A receita, de sabor irresistível, leva ainda minimilho, molho demi-glace e saba (condimento obtido da redução do mosto de uva) e é coroada por uma pururuca suína.

A coquetelaria da casa está em muito boas mãos. Quem responde pelo preparo dos drinques é Vini Lopes (ex-Tuy Bar), que trabalhou também no Lilu e no Vito.

Das oito receitas autorais, cai bem para começar o margaretti (38 reais; foto), servido na taça martini com sal na borda.

Trata-se de uma leve e refrescante combinação de vermute seco, limoncello, limão-siciliano e jerez — que aparece com discrição e dá um acabamento perfeito ao sabor.

Também bastante equilibrado é o potente little italy (38 reais; foto). O drinque consegue domar os sabores marcantes do bourbon Wild Turkey e do licor de uísque Southern Comfort com vermute seco Carpano e vinagre de grapefruit (toranja).

Donna (@restaurantedonna_)
Rua Peixoto Gomide, 1815, Jardins.
Telefone: (11) 97593-9047.

Segunda a quarta, 19h/23h;
Quinta a sábado, 19h/23h45;
Fecha aos domingos.
@andremifano

Preços checados em fevereiro/2022.

 



HIGHLIGHTS
Donna

Faixa de Preço: $$
Tipo de Cozinha: Italiana

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

1 Comment

  • Reply February 12, 2022

    fernando

    esses risotto mais parece um arroz molhado.

Comente este artigo