No berço da Heineken, em Amsterdã

Cidade de tantas atrações, como o Rijksmuseum, a Casa de Anne Frank, o Museu Van Gogh e o Red Light District, a pulsante Amsterdam reserva também uma super atração para os amantes da cerveja. Trata-se do museu temático Heineken Experience, montado num prédio de 1867 que abrigou a primeira fábrica da cervejaria holandesa. Detalhe: produzia-se cerveja ali até 1988.

A visita, que dura cerca de 1h30, é bem divertida, cheia de atrações interativas e audiovisuais. Além de saber um pouco da história da família de Gerard Adriaan Heineken, que fundou a Heineken em 1863, o visitante pode conferir a evolução do logotipo e das garrafas; entrar numa sala que simula o processo de produção, aprender a tirar chope e até imprimir seu nome no rótulo.

Para recordar o passado, a Heineken mantém ali um estábulo com aqueles cavalos de pata peluda da raça inglesa Shire (lembrança dos tempos em que os barris era charmosamente entregues em carroças de tração animal). No fim do passeio, chega-se a um bar todo rodeado de TVs, que exigem imagens de vistas aéreas de várias cidades do mundo, incluindo o Rio de Janeiro. O ingresso (18 euros na bilheteria; 16 euros on-line). A entrada dá direito a dois copos de chope (Heineken, claro!).

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar