Três novos ótimos bares e restaurantes para conhecer na próxima visita a Montevidéu

Os restaurantes El Palenque, Garcia e La Pulpería seguem lá, firmes e fortes. Mas quem visita Montevidéu percebe que as tradicionais parrillas da cidade agora dividem atenção com uma nova geração de bares e restaurantes, onde a carne nem sempre é a principal protagonista. São endereços de atmosfera jovial e antenados com as mais recentes tendências gastronômicas. Visitamos três lugares que não podem faltar na sua próxima viagem a Montevidéu. Confira:

# Bar de Vinos (@bardevinosuy)
No badalado centrinho de Carrasco, uma ruazinha menos movimentada abriga desde setembro o elegante Bar de Vinos — híbrido de restaurante, loja e wine-bar com 150 rótulos de vinho. Um dos sócios da empreitada é Juan Pablo Clerici, do célebre Café Misterio, pertinho dali. Apesar da pompa da ambientação, a atmosfera lá dentro é descontraída e o atendimento, informal. No dia da visita foi provado uma ótima picanha de cordeiro com molho de iogurte e batata-doce assada. O vinho (uruguaio, claro!) também foi especial: Familia Deicas Extreme Vineyard Cerro del Guazuvirá, blend de merlot, tannat, petit verdot e viogner com 94 pontos no Guia Descorchados.
Calle Rostand, 1571, Carrasco, Montevidéu, WhatsApp (+598 93 313 106).

# Oriundo (@oriundo.uy)
Logo acima do Parque Rodó, Cordón tornou-se o atual quadrilátero cool de Montevidéu. Um dos últimos endereços descolados a inaugurar no bairro foi o já concorrido Oriundo, aberto em maio por sócios do vizinho Misión Comedor e do bar El Mingus, entre outros empreendedores. O principal atrativo do Oriundo são as 14 torneiras de… vinho! Isso mesmo: os vinhos jorram em taças e jarras de torneiras conectadas em barris de aço inoxidável, envazados especialmente para casa em vinícolas de Montevidéu e Canelones. Entre eles, não perca o ótimo marselán roble da vinícola Varela Zarranz. Da cozinha aberta para o estreito salão saem muy ricas tapas vegetarianas para compartilhar. Duas dicas certeiras: o curry de abobrinha e grão-de-bico servido com arroz jasmim e o canelone de ricota e espinafre ao molho bechamel gratinado com salsa de tomate e pesto de manjericão.
Calle Pablo de María, 1013, Montevidéu, WhatsApp (+598 2418-5404).

# Demorondanga (@demorondangabar)
De atmosfera alto-astral, tornou-se um dos endereços do momento na capital uruguaia. Lota de gente atrás de paquera, bons drinques e ótimas tapas que saem da cozinha aberta para o pequenino salão. O bar foi idealizado por quatro amigos que trabalharam na cozinha do El Mingus e também num restaurante em La Pedrera, no litoral norte do Uruguai. Quem quiser mais detalhes das sugestões do menu, pode pedi-los para a simpática atendente Mauren, que sabe explicá-los em português. Na visita realizada, chamaram a atenção os cogumelos recheados ao molho agridoce de pimenta feito na casa e a bochecha bovina braseada por 6 horas, que remete às tapas dos bares de San Sebastián, no País Basco. Caso não queira esperar por mesa, considere aparecer por lá às 19h (não é necessário reservar, as mesas são ocupadas por ordem de chegada).
Calle Charrúa, 2295, Cordón, Montevidéu.

Jornalista paulistano, foi crítico de bares da revista "Veja São Paulo" durante dez anos — período em que escreveu e foi jurado das edições anuais "Comer e Beber". Antes, trabalhou como colunista do jornal "O Estado de S. Paulo" (de 1994 a 2001) e colaborou para os extintos "Jornal da Tarde" e "Época São Paulo". Nos últimos dez anos, visitou dezoito países, sempre em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia.

Seja o primeiro a comentar